Visitas nas unidades e diálogo com servidores.

Visitas nas unidades e diálogo com servidores.

Na manhã de ontem (quinta-feira, 07 de maio), o SindsaudeBa, junto com Ministério Público do Trabalho (MPT) visitaram o Hospital Roberto Santos em Salvador para uma série de visitas técnicas para acompanhar a trabalho dos servidores públicos da saúde e administrativos nas unidades de saúde, as ações contra a COVID19 e dialogar com os servidores sobre os EPIs, um dos maiores problemas que enfrentamos na Pandemia.

Nesta etapa, a presidente do SindsaúdeBaIvanilda Brito, acompanhada da Secretária Geral, Inalba Fontenelle e equipe. “Estamos recebendo denuncias da falta de EPIs, como aventais impermeáveis de péssima qualidade, nossos colegas, servidores da saúde, a linha de frente contra a COVID19, sem a proteção adequada a estimativa de fato é que infelizmente um grande número delas vão se contaminar”, explica Ivanilda.

De acordo com a Secretária Geral, Inalba, é uma luta diária no hospital. “São pontos de debates e discussão, sofremos com a alimentação, agora EPIs, excesso de trabalho pela falta de profissionais, dobras de plantões e salários muito baixos, esses são alguns pontos que precisam ser avaliados e cuidados pelo governo para cuidar na sua equipe linha de frente”, disse Inalba.

Durante a visita os servidores públicos reclamaram dos pedidos de afastamento que não foram atendidos até o momento. Todos os pedidos são de servidores acima de 60 anos, com alguma comorbidade, por lei tem esse direito.

A Bahia registra 4.528 casos confirmados de Covid-19, o que representa 23,81% do total de casos notificados no estado. Considerando o número de 1.070 pacientes recuperados e 165 óbitos, 3.293 pessoas permanecem monitoradas pela vigilância epidemiológica e com sintomas da Covid-19, o que são chamados de casos ativos.

Os casos confirmados ocorreram em 158 municípios do estado, com maior proporção em Salvador (63,54%). O boletim epidemiológico registra 10.864 casos descartados e 19.017 notificações em toda a Bahia. Estes dados representam notificações oficiais compiladas pelo Centro de Informações Estratégicas em Vigilância em Saúde da Bahia (Cievs-BA), em conjunto com os Cievs municipais.

Taxa de ocupação

 

Na Bahia, dos 855 leitos disponíveis do Sistema Único de Saúde (SUS) exclusivos para Covid-19, 432 possuem pacientes internados, o que representa uma taxa de ocupação de 51%. No que se refere aos leitos de UTI adulto e pediátrico, dos 422 leitos exclusivos para o coronavírus, 228 possuem pacientes internados, compreendendo uma taxa de ocupação de 54%. Cabe ressaltar que o número de leitos é flutuante, representando o quantitativo exato de vagas disponíveis no dia. Intercorrências com equipamentos, rede de gases ou equipes incompletas, por exemplo, inviabilizam a disponibilidade do leito. Ressalte-se que novos leitos são abertos progressivamente mediante o aumento da demanda.

As denúncias chegam a dizer que os médicos usaram capa de chuva no lugar de aventais impermeáveis. Lincoln alerta que os EPIs são extremamente necessários aos profissionais da saúde. “Se as pessoas estão expostas na linha de frente, sem a proteção adequada a estimativa de fato é que infelizmente um grande número delas vão se contaminar”.

Recebidos pelo diretor médico do hospital, Manoel  Peso, e pela diretora de enfermagem, Aglair Torres, os representantes dos cinco órgãos definiram em reunião ações de fiscalização, firmando o prazo de quinze dias para encaminhamento de relatórios ao MP, este representado pelo coordenador do Centro de Apoio Operacional às Promotorias de Justiça do Consumidor (Ceacon), Roberto Gomes, e pela promotora de justiça Ana Paula Limoeiro. Com a equipe de fiscalização do Coren-BA estavam a vice-presidente e a procuradora da autarquia, Laurinda Machado e Tycianna Monte Alegre, respectivamente.

A equipe de fiscalização do Coren-BA, formada pela coordenadora de fiscalização, Ana Paula do Vale, a enfermeira fiscal Mirele Fiorenza e o auxiliar de fiscalização Alberto Santos, deu início à vistoria visitando a Unidade de Clínica Médica e Cirúrgica, no 4º andar, de onde foram recebidas denúncias de dobras excessivas de turnos, com constatação de permanência de profissional em plantões de até trinta horas ininterruptas.

Acompanhados pela enfermeira Responsável Técnica (RT) da unidade, Franciane Lessa, a equipe analisou o livro de ocorrência de enfermagem, a taxa de ocupação dos leitos, as atribuições dos técnicos de enfermagem e dos enfermeiros, as instalações e conversou com os profissionais.

 

A equipe também visitou a Unidade de Terapia Intensiva (UTI), acompanhada pela coordenadora geral da unidade, Cleide Cruz e pela RT Cíntia Ribeiro. Na unidade, também foram vistoriadas as instalações, aparelhagens e sala de descanso dos profissionais. A ausência da Sistematização da Assistência de Enfermagem (SAE) foi uma das inconformidades constatadas.

A fiscal Mirela constatou sobrecarga de trabalho na UTI Geral, sobretudo para os enfermeiros. “A unidade possui apenas dois enfermeiros para 18 leitos ocupados, quando deveria ter pelo menos quatro enfermeiros disponíveis. O subdimensionamento leva às dobras de turno e verificamos dobras que chegam a trinta horas”, apontou a fiscal.

De acordo com a coordenadora de Fiscalização Ana Paula do Vale, novas equipes foram montadas para uma série de visitas técnicas ao longo desta semana, para que todas as unidades do hospital sejam visitadas a fim de que um relatório completo seja encaminhado ao Ministério Público.

 

Postar um Comentário