SindSaúdeBa e Comissão HEOM reúnem-se com a SESAB.

SindSaúdeBa e Comissão HEOM reúnem-se com a SESAB.

A Secretaria de Saúde da Bahia (Sesab) pretende fechar o Hospital Especializado Octávio Mangabeira para reforma-geral em plena Emergência de Saúde Pública (Covid-19). O hospital é especializado em doenças pulmonares e retaguarda para internamento de complicações pós-covid.

Na última quinta-feira, 27 de maio, servidores do Hospital Especializado Otávio Mangabeira (HEOM) e o SindSaúdeBa reuniram-se com gestores da SESAB, Janaína Peralta (Superintendente de Recursos Humanos da SESAB), Lucas Rosa (Coordenador CEIRF – Arquitetura), Igor Lobão (Superintendente da SAS), Cássio Garcia (Assessor da Secretaria de Saúde), Marcos Sampaio (representante do CES) e Ivanilda Brito presidente do SindSaúde Bahia.

Com a articulação e abertura do diálogo na SESAB, a presidente do SindSaúdeBa, Ivanilda Brito, junto com a Comissão de Servidores do HEOM, Wellington Roma Lage, Caroline Ledo, Nívea Caribé Vilas Boa e Fábio Oliveira levantaram as pautas sobre a Reforma do Hospital que está com processo de licitação obra em andamento. Algumas perguntas sobre o novo perfil da unidade, a plantadas baixa e as novas instalações na unidade.

No encontro foram apresentadas preocupações dos servidores com os pacientes. Como: 1– Para onde serão encaminhados os pacientes, 2– Quais serviços assistenciais continuaram funcionando no espaço externo do Hospital, laboratório, ambulatório etc; 3– Como ficará a situação dos profissionais especializados; 4– O período desta reforma? quanto tempo durará, anos ou meses? 5– Qual será o regime de gestão (os, ppp, direta etc)?, 6– Após a reforma concluída os servidores serão aproveitados, sendo todos mão de obra especializadas retornarão para o hospital (trabalhar no espaço moderno e bem equipado), foram levantadas pela comissão.

De acordo com a presidente do Sindsaúde Bahia, Ivanilda Brito, a entidade não vai aceitar que ocorram prejuízos na remoção dos servidores. “Os servidores estarão acompanhando os pacientes, não há por que não manter os mesmos percentuais de insalubridade e demais benefícios.  Os argumentos da gestão são inaceitáveis, os trabalhadores vão permanecer dando assistência ao paciente cujo grau de exposição não mudará, só o local?”, se posiciona a presidente do SindSaúdeBa.

“Será preciso dialogar bastante e defender os direitos, eu acredito que a sensibilidade de todos (SESAB e Governo), vão garantir nenhuma redução dos direitos aos trabalhadores. Os servidores não solicitaram remoção, é a gestão que precisa realizar essa movimentação”, pontuou a presidente.

Ivanilda acrescentou que, o dialogo na reunião, não teve o tom que a comissão e o sindicato esperavam, mas que esse foi o primeiro momento “é necessário pensar nos pacientes que são assistidos no HEOM – único hospital que atende tuberculose no Nordeste sendo referência e fortalecemos o SUS”, comentou.

O HEOM recebe pacientes de toda a Bahia. Uma preocupação dos trabalhadores por criarem uma relação de humanização excelente na unidade. “A SESAB pontuou que iria dialogar com os municípios para assegurar essa assistência dos usuários e procedimentos do HEOM”

O encontro não foi exatamente o esperado, mas foi o primeiro momento. A presidente do SindSaúdeba, Ivanilda Brito fala da importância da sensibilidade do governo e de construir alternativas coletivas e viáveis. “Sabemos e reconhecemos a necessidade da modernização, contudo, há de se ter empatia com os servidores da saúde e os usuários/as”, subindo o tom e mostrando apreensiva com a situação.

Outras oportunidades de dialogar virão e se faz importante, “afinal de contas estamos em plena pandemia e penso que o governo não deixará os usuários do HEOM desassistidos, já nos encontramos ao passo da terceira onda da COVID 19, é ouvindo e tentando absorver ideias que se faz a transformação. Queremos o melhor para todos os usuários e servidores/as, a gestão deve ser aberta para dialogar com o sindicato ouvirmos as ideias propostas pelos servidores/as que ali laboram há anos, trazendo pontuações importantes expondo-as de modo a serem acolhidas.

#VAMOS JUNTOS CONSTRUIR NOSSA HISTÓRIA!

 

Postar um Comentário