Entidades da saúde alertam para crescimento da COVID19, em Coletiva de Imprensa.

Entidades da saúde alertam para crescimento da COVID19, em Coletiva de Imprensa.

Nesta quarta-feira, 13 de maio, foi realizado a primeira Coletiva de Imprensa #ContraCovid19,  liderada pela diretora do SindsaúdeBa e vereadora, Ouvidora Geral da Câmara Municipal de Salvador (CMS) e membro da Comissão de Saúde na Casa, Aladilce Souza (PCdoB), onde debateram o tema e levantaram dados importantes para o município e estado. Entidades marcaram presença no encontro virtual representantes do Conselho Federal de Enfermagem (COFEN), Conselho Regional de Enfermagem (COREN), Sindicato dos Trabalhadores em Saúde do Estado da Bahia (SINDSAUDE), Associação Brasileira de Enfermagem (ABEN), Escola de Enfermagem da Universidade Federal da Bahia (Ufba), Sindicato dos Enfermeiros do Estado da Bahia (SEEB), Conselho Regional dos Fisioterapeutas e Terapeutas Ocupacionais (CREFITO), Conselho Regional de Serviço Social (CRESS), Sindicato dos Psicólogos do Estado da Bahia SINDPSI), Conselho Regional de Farmácia (CRF), Sindicato dos Farmacêuticos do Estado da Bahia (SINDIFARMA) e pelo Sindicato dos Fisioterapeutas e Terapeutas Ocupacionais (SINFITO).

 

Dados da Secretaria de Saúde do Estado da Bahia (Sesab) mostram que o número de profissionais de saúde infectados pela Covid-19 (novo coronavírus) passou de 140, na semana passada, para mais de 600, nesta semana. Com base nestas informações, houve um crescimento de quase 400% de trabalhadores da saúde com a doença.

 “Ter mais de 600 profissionais de saúde com a doença significa que mais de 10% dos profissionais de saúde estão doentes. É um número alto. Vamos chegar ao ponto da Itália, que teve 40% dos profissionais de saúde infectados?”, questiona Aladilce.

 

Um dos pontos mais questionados na coletiva virtual é sobre o afastamento dos profissionais com comorbidades ou com mais de 60 anos. “Estamos nesta luta e judicializamos para que governo e prefeitura afastassem os profissionais considerados grupo de risco, idosos e pessoas com doenças crônicas, além da disponibilidade dos Equipamentos de Proteção Individual (EPIs) para os profissionais que estão na linha de frente no combate à covid-19. Não queremos mais colegas doentes ou mortos, somos o time linha de frente é preciso que cuidem deles para não desfalcar a equipe quando a imensa onda chegue nas unidades de saúde e hospitais de campanha”, desabafou Ivanilda Brito SindsaúdeBa.

O SindsaúdeBa, através do Comitê de Enfermagem Contra Covid19, Observatório da Saúde e a Comissão de Saúde, através da Ouvidoria da Câmara Municipal, com apoio da Aladilce Souza, estamos conseguindo chegar em unidades da saúde, ter acesso, dialogar com os gestores, coordenadores e servidores para que possamos cobrar dos governos melhores condições de trabalho e segurança.

Postar um Comentário