SindSaúdeBahia fortalece a luta pelo fim do assédio moral no Curuzu.

SindSaúdeBahia fortalece a luta pelo fim do assédio moral no Curuzu.

“Falta respeito”, assim a presidente do SindSaúdeba, Ivanilda Brito após receber uma avalanche de reclamações de servidores públicos da saúde sobre a unidade. Em, 4 de março, o SindSaúdeBa, junto com uma comissão reuniram na sala anexo a unidade para pontuar uma série de problemas, onde aparentemente poderia ser resolvido com diálogo.

No dia, 18 de maio, SindSaúdeBa, com o Comitê de Enfrentamento à Covid19, fizeram a visita de rotina as unidades de saúde, com a presença da coordenadora da unidade. Na mesma unidade, com a presença da presidente Ivanilda Brito, pontuamos alguns problemas, já pontuados para SESAB através de ofício, e ampliamos o diálogo na certeza de findar os ruídos e a forma de coordenar a unidade.

“São tantas ligações e reclamações que questionamos o porquê?- será que o Secretário de saúde não vai tomar providência sobre essa lista enorme de reclamações? – o Conselho Estadual da Saúde da Bahia já tem ciência de uma lista enorme de reclamações agora é o Estado (governo) tomar providência ou a então coordenadora entender que servidores públicos estão lá a 10 – 13 anos e criamos uma relação com a comunidade”, pontua Ivanilda.

No site do SindMed, a matéria do mês setembro, classifica a coordenação da unidade como irresponsável. “vários médicos narraram episódios que trazem indícios de favorecimento, assédio moral e retaliações, e apresentaram provas, que foram encaminhadas ao Ministério Público. Os atos, segundo eles, foram praticados pela atual gestora da unidade, a farmacêutica Queila Araujo”, de acordo o site.

Através das redes sociais, algumas reclamações chegaram e direcionadas para o CES (Conselho Estadual de Saúde). “Eu recebo ligações dos colegas do Curuzu, desabafo que me deixa preocupada, como uma coordenação faz esse desmonte na equipe? – porquê? – onde o sonho de qualquer governo é ter estabilidade na equipe – ainda mais na unidade do Curuzu, onde temos uma história de luta lá pela excelência desde atendimento a profissionais de qualidade, mesmo com todas as nossas dificuldades estruturantes somos profissionais e tenha certeza que por causa dos servidores públicos, o governo do Estado tem paz e pode dizer ‘temos qualidade no atendimento’ – por causa dos meus colegas lá”, desabafa Ivanilda.

Essa luta já está no Ministério Público, Conselho Estadual da Saúde, SindMed, SindsaúdeBa e na mesa do Secretário de Saúde. “se for preciso vamos para os deputados”, avisa Ivanilda.

Postar um Comentário