“Piso Salarial da Enfermagem” é destaque na TV na região Oeste.

“Piso Salarial da Enfermagem” é destaque na TV na região Oeste.

Nesta quinta-feira, 08 de agosto de 2022, o diretor Fabrício Santana da cidade de Vitória da Conquista, foi um dos convidados e entrevistado ao vivo do jornal da UESB de hoje. Na pauta a decisão liminar do ministro do Supremo Tribunal Federal (STF) Luis Roberto Barroso de suspender o piso salarial nacional da enfermagem.

No bloco especial, o diretor Fabrício expos as preocupações e os passos que o coletivo dos servidores e trabalhadores da enfermagem devem percorrer. “Através da unidade e da luta que vamos mostrar a força da categoria, não vamos cair neste golpe de quem chegou agora e nunca foram a luta pelos trabalhadores, o Piso Salarial, é uma realidade mais para concretizar precisamos que todos saiam das redes sociais e mostremos a nossa força nas ruas”, pontuou Fabrício.

Em reunião com representantes da luta pelo Piso Salarial da Enfermagem, o parlamentar Rodrigo Pacheco, Ministro Barroso, Deputada Federal Alice Portugal e outros mostraram os caminhos para viabilizar o pagamento do piso. “O piso salarial nacional da enfermagem é uma das milhares de medidas que devem ser colocadas em práticas imediatamente, os profissionais da saúde protagonizaram ser fundamentais para todos nós, não tenho dúvidas que esse piso é merecedor para cada brasileiro, além de menor carga horária e melhorar as gratificações”, pontuou Alice Portugal.

O senador Fabiano Contarato (PT-ES), autor do projeto de lei que originou a Lei 14.434, afirmou em suas redes sociais que conversou com Pacheco para pedir que atue na efetivação do piso da enfermagem, diante da decisão judicial de suspensão do pagamento. — Pacheco é sensível à causa da dignidade salarial da enfermagem e contribuirá no sentido de solucionar o impasse da judicialização — disse Contarato.

Relator da PEC 11/2022, o senador Davi Alcolumbre (União-AP) afirmou que confia na “harmonia entre os Poderes” e que “juntos, encontraremos uma solução para esses trabalhadores que tanto fizeram e fazem pelo nosso país, inclusive, na linha de frente da pandemia”.

A luta pelo piso salarial nacional enfermagem tem mais de 30 anos. A Lei foi sancionada pela Presidência da República e publicada na edição do dia 05 de agosto do Diário Oficial da União. Com a norma, os enfermeiros devem receber pelo menos R$ 4.750 por mês. Técnicos de enfermagem devem receber no mínimo 70% disso (R$ 3.325). Já auxiliares de enfermagem e parteiras têm de receber pelo menos 50% desse valor (R$ 2.375).

A mobilização, que será realizada em todos os estados e deve ocorrer no mesmo dia em que o STF irá julgar a decisão do magistrado, que atendeu a um pedido da CNSaúde (Confederação Nacional de Saúde, Hospitais e Estabelecimentos de Serviços), que afirma que não possível cumprir a lei, por não considerar desigualdades regionais e cria distorção remuneratória em relação aos médicos, além de gerar o aumento do desemprego entre os profissionais de enfermagem.

“Lutamos muito para conquistar o piso salarial da Enfermagem. Foi uma luta, em todas as entidades, que defendem a enfermagem estiveram juntas, E de novo, unidas vamos lutar pela manutenção do piso e que ele entre de imediato nos contracheques dos profissionais. Não podemos deixar que as empresas privadas e filantrópicas sejam beneficiadas e os profissionais sejam mais uma vez prejudicados. Vamos pra rua, vamos ao congresso. Vamos onde for preciso para pressionar, para lutar, que nossos direitos sejam respeitados”, concluiu a presidente do Sindsaúde Bahia Ivanilda Brito.

 

Postar um Comentário