“Já são 5493 profissionais infectados, ainda faltam testes rápido para todos”, disse Ivanilda

“Já são 5493 profissionais infectados, ainda faltam testes rápido para todos”, disse Ivanilda

“Precisamos dos testes rápidos, não podemos realizar somente quando os servidores ficarem assintomáticos isso é absurdo, queremos salvar vidas e, para isso, precisamos está bem e com saúde”, disse Ivanilda em entrevista.

Nesta quarta-feira, 17 de junho de 2020, a presidente Ivanilda Brito participou da entrevista da rádio Metrópole Fm, no programa Jornal da Cidade (17h), com os apresentadores Chico Kertesz e James Martins. Na pauta “como os profissionais de saúde estão nesta Pandemia”.

“Estamos dando a nossa vida”, começou a entrevista alertando para o papel importante de cada servidor público da saúde (SESAB) pelo Estado da Bahia, “mas precisamos ser reconhecidos, lutamos anos seguidas pelos nossos direitos e pelo reconhecimento, uma luta séria e não foi fácil”.

“Somos os principais atores da linha de frente, mais não estamos sendo reconhecidos desde a Reforma da Previdência, estamos sofrendo dia e noite para não perder o que ganhamos anos atrás através de uma luta de classe difícil e sofrida”, alertou Ivanilda pelo papel do Governo do Estado da Bahia que não esta valorizando o time de frente.

Esses meses de pandemia, agora, após 80 dias, podemos perceber uma centralidade dos profissionais que são experientes, os novatos (a maioria terceirizado), devido a falta de cursos e práticas mostram insegurança. “Uma parte demonstram insegurança justamente pela falta de treinamento, por isso, pedimos a SESAB que não parem os treinamento, que use e abuse disso antes e após os plantões justamente para proteger a todos, a pandemia é gigantesca e isso deixa a nós (SindsaúdeBa), os profissionais linha de frente, o Governo (especial a SESAB) e a população em dúvida e apreensiva, por isso, importante esses treinamento que anos atrás era uma das ferramentas que qualificou muitos servidores públicos e hoje dão segurança ao governo do Estado”, explicou Ivanilda.

Nesta estrada sem fim, ainda há problemas e novos vem surgindo, pelas denuncias que vem chegando a sede do SindsaúdeBa são: EPIs, falta de testes rápidos, plantões tenso, falta de atendimento psicológico, interior sem apoio logístico para transferência, sobrecarga dos trabalhadores, entre outros. Já são 5493 profissionais infectados, ainda faltam testes rápido para todos, novos treinamentos intensivo, falta a humanização para dentro das unidades de saúde, atendimento psicológico constante, são os pedidos urgentes do SindsaúdeBa, além da liberação para quem tem comorbidades.

Postar um Comentário