Ato em Prol do Piso Salarial pela Bahia.

Ato em Prol do Piso Salarial pela Bahia.

 

O ato a favor da implantação do piso salarial para os profissionais da enfermagem teve início na manhã desta quarta-feira (21), na frente do Hospital Português (bairro Graça) e segunda concentração, em frente ao Farol da Barra (bairro Barra), na cidade de Salvador-Ba. A movimentação começou com a participação de centenas de enfermeiros, técnicos e auxiliares que atuam pela Bahia. Nos últimos dias várias mobilizações foram convocadas por causa da suspensão do Piso Salarial. Mesmo com a convocação, a Justiça do Trabalho da Bahia paralisação de parte dos profissionais nos segmentos de saúde, tanto em hospitais e postos públicos, quanto privados. 

 

A desembargadora Lea Nunes, do Tribunal Regional do Trabalho da Bahia (TRT-BA), determinou que o Sindicato dos Enfermeiros do estado mantenha um número mínimo de trabalhadores em serviço durante a paralisação prevista para esta quarta-feira (21). A categoria determinou uma paralisação para pressionar a implementação do piso salarial nacional da categoria. 

O dissídio coletivo de greve foi impetrado pelo Sindicato dos Hospitais e Estabelecimentos de Saúde do Estado. A entidade sindical pediu manutenção de pelo menos 90% dos trabalhadores por plantão. No pedido, o sindicato patronal afirmou que os trabalhadores paralisarão as atividades por discordarem da decisão do Supremo Tribunal Federal (STF), que manteve a liminar do ministro Luís Roberto Barroso, para suspender a implementação da lei até obter respostas dos municípios sobre a viabilidade de efetivar o pagamento. 

Os sindicatos que defendem argumentam que a paralisação “causará graves danos aos serviços de saúde, riscos irreparáveis para toda a sociedade, além de violar frontalmente a Lei de Greve e a própria Convenção Coletiva de Trabalho e os Acordos Coletivos de Trabalho em vigor, os quais fixam pisos salariais para as categorias envolvidas”. 

 

Durante a manhã, são realizados diversos atos pela Bahia: Feira de Santana, Serrinha, Guanambi, Santa Maria da Vitória, Vitória da Conquista, Salvador e até final da matéria aguardamos informações dos municípios baianos. A diretora da pasta do Jurídico do Sindsaúde Bahia, Joana Evangelista reivindica a aplicação e mantimento do piso salarial. “Foi uma decepção muito grande, porque estávamos presentes em um ato na aprovação do piso e comemoramos bastante”, relembra. 

 

A movimentação ocorre com palavras de ordem e, às 10h, ainda havia pessoas chegando ao ato. A diretoria do Sindsaúde Bahia, marcou presença no ato do Farol da Barra. A diretora e ex-vereadora Aladilce Souza, enalteceu o protesto. “É um direito da classe trabalhadora, das formas de luta, já discutido, mais do que debatido”, afirma.

 

De acordo com o sindicato podem participar do ato tanto profissionais de enfermagem da rede pública quanto da privada. Mas, conforme adverte o Sindicato, pelo menos 30% desses profissionais precisam ser mantidos em serviços de alta e média complexidade nos hospitais, Unidades de Pronto Atendimento (UPA) e Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (SAMU) em seus postos de atuação. 

 

Postar um Comentário