Os impactos do estresse na pandemia.

Os impactos do estresse na pandemia.

Com projeto inovador o SindSaúdeBa CUIDA é uma proposta de cuidar da saúde dos servidores públicos do Estado da Bahia associados à entidade. O objetivo neste projeto piloto na capital, na sede do sindicato é dar atendimento amplo a psicologia, nutricionista e fisioterapia.

Com o isolamento social a revista NeuroCiência e especialistas estão comprovando os danos psicológicos significativos e duradouros devido a Pandemia. De acordo com a Psicóloga Camila Lula (entrevista do último programa Entre Aspas) alertou para problemas diversos.

“Na pandemia temos o isolamento social e físico forçados, o que leva ao aumento dos casos de ansiedade, estresse e depressão. As mulheres são mais propensas à ansiedade, pois estão sobrecarregadas com os afazeres domésticos, filhos, trabalhos profissional”, pontuou Camila.

Para a psicóloga Ana Caroline do SindSaúde Cuida é importante cuidar da saúde dos servidores públicos já. “Na quarentena forçada existe a necessidade de respeitar o seu estilo de vida, os seus limites e, se possível, seria indicado fazer alguns exercícios, como a caminhada (seguindo todas as normas de segurança), ser atendidos pela nossa colega do projeto Nutricionista e Fisioterapeuta, o cuidar é um ato de esperança e unidade, pois, percebemos o quanto precisam ser valorizados”, concluiu a psicóloga Ana.

Neste novo normal os impactos do estresse são variados, mas temos uma escala de quatro importantes observações que devemos:

Músculos: a tensão muscular se manifesta principalmente na região do pescoço, ombros e costas. O estresse pode causar torcicolos, dores lombares e, em casos em que é mais acentuado, até mesmo dores de cabeça, desencadeadas pela tensão nos músculos das costas e pescoço. Exercícios de alongamento específicos para essas regiões do corpo diminuem a tensão e as dores musculares. Além disso, mexa o corpo regularmente.

Pele: maior órgão do corpo humano e um dos primeiros a mostrar os sinais do estresse no organismo. Entre os problemas mais comuns estão o aparecimento de eczema e psoríase, geralmente causados pelo aumento nos níveis de cortisol – hormônio ligado ao estresse que provoca uma resposta inflamatória do organismo. Vermelhidão, coceira e descamação da pele são alguns dos sintomas do eczema. A psoríase também causa manchas vermelhas e coceiras, além de ressecamento. O cortisol ainda pode causar o agravamento da acne em indivíduos que tenham predisposição a esse problema.

Cabelos😮 estresse pode levar ao aumento da oleosidade dos cabelos e desencadear problemas como a dermatite seborreica, uma doença crônica que pode afetar o couro cabeludo. Manifesta-se por meio de lesões avermelhadas, coceira e descamação da pele e é mais comumente observada no couro cabeludo. A descamação da pele causa o aparecimento da caspa. Por outro lado, o estresse também pode levar ao ressecamento dos fios aumentar a quantidade de fios grisalhos em pessoas que têm essa predisposição, provocar o afinamento dos fios, deixando os cabelos mais ralos, e até mesmo causar sua queda.

Estômago: quando sentido por períodos prolongados ou de forma muito aguda, o estresse tem a capacidade de mudar o nível de acidez do estômago, o que pode causar azia, má digestão, gastrite e, em casos mais graves, a formação de úlceras.

Para a presidente do SindSaúdeBa, Ivanilda Brito, nunca é tarde para cuidar da saúde. “Esse projeto piloto é um sonho de todos nós, ajudar os colegas e nos fortalecer para defender nossos direitos. Precisamos de saúde para salvar vidas e, para isso, precisamos estar bem para termos uma vida digna e voltar a sonhar. Saúde e esperança andam juntos”, explicou a presidente Ivanilda.

SindSaúdeBahia:

Sindsaúde-BA – Av. Joana Angélica, 902, s/304-306, Nazaré, Salvador-BA sindsaudeba@yahoo.com.br – Tel.(71) 3266-8940 / 8941 / 8942

 

 

 

 

 

 

 

Postar um Comentário